Barra 69 – Caetano e Gil Ao Vivo na Bahia

    Barra 69 – Caetano e Gil Ao Vivo na Bahia é um disco gravado ao vivo por Caetano Veloso e Gilberto Gil no Teatro Castro Alves, em Salvador, nos dias 20 e 21 de julho de1969, mas lançado apenas em 1972. O concerto em que o disco foi gravado precedeu o exílio de Gil e Caetano em Londres, na época da Ditadura Militar.

A Banda de apoio da dupla dinâmica foi Os Leifs que tinha nada mais nada menos que os irmãos Gomes (Pepeu e Jorginho) futuros Novos Baianos e mais Lico na guita base e Carlinhos no baixo. O disco não tem uma qualidade muito boa, mas é um belo Registro Histórico de uma época de revoluções culturais e pra sentir o feeling rock que os tropicalistas tinham, rola até um trecho de Beatles e muita guitarra fuzz. Domingo No Parque teve a participação de dois percussionistas integrantes do Conjunto Folclórico Viva Bahia.     Disco bem difícil de se achar pela net.

Faixas

  1. “Cinema Olympia” (Caetano Veloso) – 3:55
  2. “Frevo Rasgado” (Bruno Ferreira, Gilberto Gil) – 2:39
  3. “Superbacana” (Caetano) – 4:47
  4. “Madalena (Entra em Beco, Sai em Beco)” (Isidoro) – 6:48
  5. “Atrás do Trio Elétrico” (Caetano) – 2:27
  6. “Domingo no Parque” (Gil) – 4:38
  7. “Pot-pourri – 11:04

Texto retirado do site oficial da Tropicália. “Um misto de emoção e alegria, apesar do tom de despedida. Assim foi o clima que marcou o show Barra 69 que reuniu uma platéia de duas mil pessoas, incluindo nomes como Jorge Amado e Augusto de Campos. Ao todo, foram três apresentações – uma matinê, o show no dia 20 e mais um espetáculo dia 21. Empolgados, Gil e Caetano recordaram grandes sucessos tropicalistas como Alegria, Alegria, Domingo no Parque e Superbacana e ainda ofereceram em primeira mão para a festiva platéia musicas inéditas que comporiam seus novos discos, que Rogério Duprat estava finalizando. Quem acompanhou as canções da dupla durante os shows foi o Leif’s, um grupo de rock jovem de Salvador, composto pelos irmãos Pepeu, Carlinhos e Jorginho Gomes. Aliás, foi assim que, tempos depois desta incursão no mundo tropicalista, Pepeu e Jorginho passaram a fazer parte do grupo Novos Baianos. O final deste memorável show não poderia ter sido mais apoteótico. A platéia toda em pé, ouvindo pela primeira vez aquele que seria um dos maiores sucessos de Gilberto Gil, a canção “Aquele Abraço”, composta após Gil deixar a prisão, rumo a Salvador. Sentindo toda a emoção da despedida, quando soube que poderiam sair do País, Gil começou a pensar na música. O bordão “Aquele Abraço”, do comediante Lilico na televisão, também usado pelos soldados do quartel no Rio para cumprimentar Gil tinha tudo a ver com o momento e passou a ser o refrão da canção. Ironicamente, Gil não pode acompanhar o sucesso de seu compacto com “Aquele Abraço”, que vendeu mais de 300 mil cópias, pois já estava exilado, na Europa. Toda a emoção do show no Teatro Castro Alves de Salvador, em 20 de julho de 1969, ficou registrada no disco Barra 69.”         Esse show não foi feito com a intenção de ser gravado ou lançado em disco, tanto que esse registro foi feito apenas numa fita K7 por Nelson Mota e a qualidade sonora é, de fato, bem precária. Porém, como diz Guilherme Araujo no texto contido na contra-capa do Lp: “…Não interessa a má qualidade técnica da fita. Não interessa a opinião de músicos que não sabem ouvir. Essa fita é emoção e a primeira explosão de vocês. Essa fita encerra uma fase das carreiras de Cae e Gil…”             Download:         https://mega.co.nz/#!B8gRCTpL!60FQn5nl6eZ-2NDzJoaRqSrFYW7tJTwtzmgazhLOzEc

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s